Como se tornar advogado nos Estados Unidos a partir de um Diploma Brasileiro (II)?


A rota L.L.M + BAR 

Continuando a série de posts sobre como ser um advogado licenciado nos Estados Unidos, apresento-lhes o caminho mais curto (e o mais controverso).
Confesso que eu estava um pouco receosa para escrever este post, e contar que a realidade por esse caminho, não é tão simples quanto parece.Vou começar informando que você pode ser  advogado nos EUA apenas cursando um mestrado de 1 ano/1 ano e meio (se você já é um advogado estrangeiro).

Como expliquei para vocês nos posts anteriores, nos Estados Unidos cada BAR Association tem as suas próprias regras. Por isso, alguns Estados americanos (Por exemplo: Texas, Nova York, Georgia, New Hampshire, California, DC, e talvez alguns outros) permitem que um advogado estrangeiro que curse um LL.M (mestrado) nos Estados Unidos faça a prova do BAR e, consequentemente, se licencie para atuar naquele determinado Estado e em algumas das cortes federais do país. Para os que desejam seguir por esse caminho, você deve fazer um LL.M em Direito Americano para advogados estrangeiros, com matérias eletivas, que serão as matérias cobradas pelo BAR.

Ao passar no BAR, sim, você se torna um advogado licenciado nos Estados Unidos.

A realidade por trás dessa escolha 


É difícil informar-lhes a realidade de seguir buscando um licenciamento por esse caminho. Por que? Pois quando cheguei nos Estados Unidos, eu também acreditava que esse era o melhor caminho para mim. Contudo, a experiência no mercado e até mesmo a amizade com colegas advogados licenciados nos EUA, me mostraram um mercado de oportunidades para advogados estrangeiros que possuem apenas um LL.M, bem limitado (e esse mercado depende, inclusive, de sorte). Eu explico.

Qual o seu objetivo sendo licenciado nos EUA?

A)   Sou advogado no Brasil, quero fazer o LL.M e me licenciar nos EUA para retornar ao Brasil e trabalhar em um grande escritório de advocacia.

Excelente! Isso agregará bastante no seu currículo e será um grande diferencial na sua contratação para grandes escritórios no Brasil que trabalham com direito internacional, ou mesmo empresas multinacionais.

B)   Sou advogado no Brasil, moro nos Estados Unidos e não dependo de patrocínio para visto de trabalho (tenho residência permanente, sou cidadäo americano ou sou patrociado pelo visto de trabalho do meu esposo/esposa) e quero abrir meu próprio escritório de advocacia.

Se você não precisa ser contratado e patrocinado por alguma empresa, seguir o caminho do LL.M + BAR é viável. É muito comum (na Florida, principalmente,) vermos advogados estrangeiros de imigração que apenas cursaram o LL.M e fizeram a prova do BAR em outro Estado (a FL não aceita apenas o curso do LL.M, mas por imigracão ser de jurisdição federal, você pode fazer a prova do BAR em um Estado e trabalhar na área federal em qualquer outro Estado).

C)   Sou advogado no Brasil, moro nos Estados Unidos e não dependo de patrocínio para visto de trabalho (tenho residência permanente, sou cidadäo americano ou sou patrociado pelo visto de trabalho do meu esposo/esposa) e quero ser contratado por uma empresa.

Se você não depende de patrocinio de visto de trabalho, as suas chances podem aumentar, pois você pode se candidatar à muitas vagas. Contudo, lembre-se que os seus maiores concorrentes serão pessoas que cursaram o Juris Doctor completo, e que, na maioria das vezes, tem bastante experiência Americana (já tem um Bacharelado, um Juris Doctor e trabalharam nos EUA. Alguns também falam mais de um idioma). A contratação para uma posição de advogado pode ser difícil. Mas, não impossivel, principalmente se você tiver bastante experiência no Brasil ou já tenha trabalhado com mercado internacional.

Conheço pessoas que acabaram trabalhando como assistente jurídico (paralegal) após o mestrado, pois não conseguiram ser contratados como advogados. Sim, existe uma diferença salarial entre as duas posiçōes.

Mas, também conheço pessoas que tinham experiência jurídica internacional e foram contratadas por empresas após cursar apenas o LL.M

D)   Sou advogado no Brasil, estou com visto de estudante, e preciso de patrocínio de visto.

Para ser BEM sincera, aí que mora o problema. Suas chances de contratação diminuem bastante (contudo, não são impossiveis. Tudo vai depender da sua experiência anterior e do elemento SORTE.)

Primeiramente, se você necessita de patrocinio de visto, saiba que você terá que focar na área corporativa.

Geralmente, os empregadores que patrocinam vistos de trabalho são os grandes escritórios de advocacia “Big Laws” e as grandes empresas. O único problema é que, esses empregos são os mais disputados no país, pois são os que tem melhor remuneração. Essas empresas apenas entrevistam os melhores alunos das melhores universidades. Por isso, sua experiência no Brasil e no exterior será o seu diferencial para conquistar uma vaga.

A dificuldade vem do requerimento para o visto de trabalho. As empresas tem que provar para a imigração Americana que aquela vaga é um trabalho intelectual, que näo pode ser exercido por um americano. Além de tudo, o processo de imigração é bastante caro e é patrocinado pela empresa. Por isso, as empresas são ainda mais cautelosas ao contratarem estrangeiros.

Espero que essas considerações os ajudem na escolha do melhor caminho para você. Raramente, as pessoas mencionam a realidade do mercado de trabalho americano. Essa foi uma das razões que me levaram a cursar o Juris Doctor após o LL.M. Não são apenas os brasileiros que sonham em se licenciar nos Estados Unidos. Todos os semestres, muitos outros estrangeiros de diversos países vem para os EUA na busca de cursar um LL.M e fazer a prova do BAR.  Por isso, tenha em mente que uma boa qualificação é sempre valorizada.

Até o próximo post!

Talitha



Nenhum comentário